Mato Grosso, 28 de março de 2017

noticia

.:: Publicidade

Inventário investigará situação da caatinga em Pernambuco

Em 07 de março de 2017 as 08h38

Previsão é de que o trabalho, que começa ainda em março, seja concluído em quatro meses nos 249 pontos de 115 municípios.

Fonte: Portal Brasil

http://expressomt.com.br/nacional-internacional/inventario-investigara-situacao-da-caatinga-em-pernambuco-178007.html

Crédito: Paulo de Araújo/MMAInventário revelará situação da Caatinga em Pernambuco
Equipes irão medir as árvores, analisar saúde e vitalidade, coletar amostras do solo e de material botânico.
O Serviço Florestal Brasileiro (SFB) vai desenvolver, a partir deste mês, o Inventário Florestal Nacional em Pernambuco (IFN-PE).

Trata-se de um levantamento que vai revelar informações como o estado de conservação da caatinga no estado, estoque de carbono na floresta e outras informações.

A iniciativa terá apoio do governo estadual, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).

“O Inventário Florestal fará uma radiografia da biomassa florestal e do estoque de carbono e o levantamento das espécies arbóreas existentes em Pernambuco”, explica o gerente do Programa Mata Atlântica e Biodiversidade da Semas, Josemario Lucena.

Equipes irão a campo medir as árvores, analisar saúde e vitalidade, coletar amostras do solo e de material botânico, entre outros aspectos. O objetivo é conhecer não só a quantidade dos recursos como também o estado de conservação e a biodiversidade das florestas.

O levantamento será feito em 249 pontos distribuídos em mais de 115 municípios. Serão três equipes, num total de 15 profissionais, entre engenheiros florestais, biólogos e técnicos agropecuários.

A previsão é que o trabalho seja concluído em quatro meses. Serão investidos cerca de R$ 900 mil, com recursos do Projeto GEF (Global Environmental Facility) de Apoio ao IFN, geridos pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

O governo estadual será responsável por realizar o levantamento nas 82 Unidades de Conservação de Pernambuco, com recursos de compensação ambiental, no valor de R$ 1,5 milhão. De acordo com a Semas, essa segunda etapa ainda está em fase final de liberação de recursos.

Além disso, serão realizadas entrevistas com moradores do entorno das áreas pesquisadas sobre sua relação com a floresta e o uso dos recursos, como a utilização para alimentar o gado ou de lenha para cozinhar. Esse levantamento com a comunidade é uma das novidades da metodologia do IFN.

“É um trabalho aprofundado, em larga escala e feito de forma sistemática. É um valioso instrumento de suporte e orientação para os governos e a sociedade no desenvolvimento e implementação de políticas de manejo e conservação das florestas”, ressalta o diretor-geral do SFB, Raimundo Deusdará.

Políticas de meio ambiente
O secretário executivo da Semas, Carlos André Cavalcanti, reforça a importância do inventário para o desenvolvimento de políticas públicas.

“O Inventário Florestal Nacional em Pernambuco será de extrema importância para produzir conhecimentos sobre os recursos florestais do estado, fundamentando a formulação, implementação e execução de políticas públicas de desenvolvimento, uso e conservação desses recursos”, afirma.


Comentários

Topo

© ExpressoMT (2008 - 2017) - Todos os direitos reservados.

Fale conosco| Seja um parceiro| Quem somos| Mapa do site